858
reblog

Vazio agudo, ando meio cheio de tudo.

Paulo Leminski.

847
reblog
E nessa troca de olhares, o meu corpo já possuiu o teu.
— Espectroar. 
74
reblog

Te eternizei nas minhas poesias que escrevi num pedaço de papel e coloquei no bolso da blusa na frente do meu peito, bem perto da tua casa.

262
reblog

meu doce poeta, perdoa-me pela minha escuridão

não sei se você sabe, mas roubaram de mim meus tons.

216
reblog

baby,

no meio do caos, embrenhado a todas essas minhas incoerências, esconde-se o meu medo de perder-se em solidão.

30371
reblog
Drama ou não, ninguém sofre por opção.
Renato Russo.  
527
reblog

corpos suados,

mentes vadias,

gemidos abafados,

almas sombrias.

 a noite é dos poetas.

852
reblog

Matei minha poesia.

Não sobrou nada, fiz delas estrelas e as transformei em pó e deixei-as voar, tomar gosto pelo vento, em outros corações morar e ser alento de quem vive no relento, fazer morada no céu de quem precisar.

559
reblog

A moça pintou os olhos antes de sair de casa na esperança de enxergar colorido o preto e branco da vida.

Reflorear-se

73
reblog
Sinto-me desmontada em pedaços e as peças principais se perderam ao longo do caminho. Não quero que me completem. Que me encaixem, nem que me reconstruía. Preciso somente de um tempo longe de toda essa perfeição que corremos tanto atrás. Não posso mais desejar ser aquilo que não sou para agradar alguém. Vou continuar torta, louca e sozinha. Mas ainda assim, feliz. É só de felicidade que ando realmente necessitando.
Camila Mendes  
76
reblog

não se desespere se eu desaparecer

456
reblog
Em algum momento
que não será esse
poderei eu
deixar tudo vir à tona.
— bc.    
248
reblog

os olhos não mentem

então olhe nos fundos dos meus olhos e enxergue o que estou sentindo. adentre aos meus aposentos com teu olhar, sente-se na cadeira de balanço e fique a observar. os tremores constantes do meu intimo acontecem rapidamente, porem frequentemente, e neste momento está ocorrendo um terremoto aqui. você pode sentir? coisas estranhas ocorrem por aqui, mas não se assuste, logo estará familiarizado a esse ambiente. vou lhe avisando logo. caso ocorra de olhar para o chão e ver que o piso está ficando molhando, não se apavore, não ouse correr, pode escorregar e cair, ou pisar numa das madeiras podres que cobrem o chão dessa moradia e desabar de cabeça no piso e morrer com uma fratura no crânio. a propósito, o liquido do qual mencionei para que não corra quando avista-lo são meus prantos, salgados e ácidos. minha morada abriga inúmeras surpresas, ora boas, ora péssimas. Instruo-te para que tome cuidado ao sair para ir aos outros cômodos, a iluminação é péssima e há labirintos sem saída. há duas janelas com grades, mas os vidros estão quebrados e os cacos espalhados pelo chão. de lá dá pra ver o nascer do meu sol. esse em momentos que chegam a ser até sangrentos. meu ultimo pedido é para que não repare nas teias de aranha espalhadas por cada parede, não tem sido frequente a limpeza deste local, por isso está dominada por coisas dessa espécie. mas então, o que vê lhe agrada? esse seu olhar de pavor revela a mim que não era isso o que imaginava, já que o sorriso engana, e o meu que aparentava ser tão sincero encobria um lugar sombrio e confuso, quem suspeitaria? pois então moço, o tour pelas minhas verdades acabou. e aconselho-te a só entrar nesse lugar quando eu o convidar, ou poderá sua vida findar no meu casulo interno. 

245
reblog

sinopse

as páginas do meu livro estão amareladas e velhas. umas com um pequeno rasgo, outras com cortes imensos que tornam quase ilegível as palavras. na verdade não há muitas palavras, e as que tem estão espalhadas. a organização desse exemplar está um caos. mas afirmo que todo o conteúdo que for obtido é de uma sinceridade imensa. posso adiantar que a dor estará presente em cada fragmento, a solidão fará companhia a ti quando for ler essa obra, as lágrimas podem vir a rolar perante meus torturantes relatos. é recomendado uma única coisa ao leitor, apenas para que ele seja fiel ao que ler e que prometa a si mesmo nunca se permitir adentrar a um lugar tão vazio e obscuro como a realidade da autora do livro. a leitura pode não ser agradável como um romance, mas será verdadeira como a pericia de um assassinato. seja sensato ao ler minhas entrelinhas, enxergue, não apenas olhe.

4950
reblog
Reviravolta
revira e volta,
mas volta depressa.
Vem, meu amor.